segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

"O escolhido foi você" - Miranda July

   
 O livro de Miranda July me impressionou pela sua construção na busca de si de uma forma diferente. Ela encontra nas conversas de vendedores que anunciaram no PennySaver seus antigos pertences a "cura" do seu bloqueio criativo. Este jornal:


"O PennySaver sempre foi mais forte quando a economia esteve mais fraca; a primeira edição foi impressa durante a Grande Depressão na garagem de alguém. O termo nunca tinha sido registrado, então PennySaver de Maryland não pertencia ao PennySaver da Flórida nem ao PennySaver de Nevada. Todos tinham começado suas versões online na última década, e todas as versões impressas vão acabar na próxima década." (p. 26)      


     Ela passa a entrevistar pessoas que anunciam seus pertences antigos no jornal e nestas conversas descobre outros mundos do qual não percebia se não fosse através do PennySaver. Miranda fez no seu descontentamento com a vida e a carreira transformar ao ouvir relatos das pessoas que ela comprou algo. Levou este projeto a sério, mesmo que planejasse perguntas o encontro com a pessoa através do objeto anunciado era inesperado. O medo da protagonista de que seus planos não darem certo foi ao longo do livro sendo superados, quando conheceu diversas histórias de superação e de conquistas de sonhos.
Imagem do primeiro entrevistado por Miranda (p.10) 



    A primeira vez que vai ao encontro de uma das pessoas que anuncia no PennySaver, ela encontra um senhor de idade em busca da sua transformação de sexo feminino e a venda da jaqueta de couro não representava apenas um jeito de financiar este sonho, mas  a despedida de uma identidade. A protagonista quando teve contato com outros tipos de realidades se interessou em relatar no seu roteiro parte destas pessoas que conheceu pelos anúncios do jornal. Desejando que fosse "reais, forjadas da vida, como todas as outras partes da história." (p. 40)


   A protagonista no decorrer dos encontros com anunciantes do PennySaver, conheceu Dina que anunciou um secador de cabelo por 5 dólares e durante a visita para comprar o produto e conheceu mais sobre a anunciante. Dina pede a filha para cantar a música "The Climb" da Miley Cyrus para Miranda e Miranda sentiu que Cyrus falava com ela através de Lynette (filha de Dina) para que ela mantivesse a fé. Além da camiseta de Dina possuía a menagem "eu sou o que sou" (p. 141) e fez com que Miranda se reconhecesse como escritora e como alguém que ouviu e viu o que viraria sua escrita.

Imagem de Dina e Lynette (p. 140)
    Não vou continuar a contar sobre este livro, pois acredito que perderia muita a graça do livro se fizesse um relato de todo livro. O movimento do livro traz a mudança que Miranda tanto deseja em sua vida, pois aquela escritora frustrada passa a ver mais sentido na sua escrita após conhecer as pessoas que anunciavam no PennySaver. Não esperava o rumo deste livro, mas confesso que gostei e muito dele. Para finalizar esta resenha deixo a música "The Climb", da Miley Cyrus, para talvez interessar alguém a conhecer este livro lindo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário