segunda-feira, 31 de março de 2014

Leituras Compartilhadas/Encontro de xícaras de "O quarto de Jacob" de Virginia Woolf - parte 2

Difícil descrever esta segunda parte do livro, pois o final aparentemente inacabado me deixou com vontade de ler mais sobre a história. Senti-me órfã do livro logo que o acabei. O mistério de quem era Jacob não ficou preso aos primeiros sete capítulos, mas sim em todo o livro. Sabemos através de vários personagens quem foi Jacob ao longo de sua vida relatada no livro. A Juliana Brina, do blog O pintassilgo, já tinha pontuado isto no comentário do meu primeiro post sobre O quarto de Jacob. Além da transformação de quem era Jacob, o livro relata na segunda parte um contexto político internacional. A constituição da Irlanda e busca de independência desta e da Índia que estavam sobre domínio inglês.
Através da leitura encontrei uma transformação dos cenários que Jacob passava, pois antes ele ficava em Cambridge e na cidade de sua família, já na segunda parte, ele passa por Londres, uma biblioteca, Paris e Atenas. Assim como seu cenário muda e os anos se passam Jacob muda. Um exemplo disto é quando vemos Jacob que antes repudiava Shakespeare por ser cânone, agora na página 152 vemos que ele não mais o repudia. Pensei que talvez ele o rejeitou primeiro por ser cânone e de extrema importância para literatura inglesa e a faculdade. Porém após este período o reencontra não mais como o pedante clássico canônico, mas algo que fica junto “as vozes” de seu quarto. Jacob sempre preferia a literatura grega até vejo que parte do conflito de sentimentos amorosos fazem parte de seu conflito filosófico.
A impressão de quem era Jacob nem sempre era agradável a todos, mas por sua maioria agradava as mulheres. O que me intriga o fato de ele ser muito descrito por mulheres ao seu redor. Estas conseguiria formar uma imagem de quem era Jacob?
Assim como seu gosto pela leitura não cessava, mas não parece ser mais um ponto tão importante na descrição. Jacob assim como na primeira parte (primeiros sete capítulos) aparece na segunda parte (do oitavo ao décimo quarto capítulo) Jacob aparece introspectivo, mas ao decorrer ele vai desaparecendo dos espaços que frequentava. Assim, como ele desaparece para as pessoas que o quer bem.

O final do livro é misterioso assim como o começo desta história. Este final, fez-me refletir sobre as pessoas que não são as mesmas todos os dias, mas nem por isto são chamadas por outros nomes. Entretanto, a busca em conhecer alguém ao longo da vida desta pessoa nunca é completa, pois suas vivências, pensamentos e sonhos mudam assim como o céu muda de cor e de aspecto.
Achei uma experiência maravilhosa ler um livro no qual não tinha expectativas. O que me causou a fascinação pelo enredo e pela escrita de Virginia Woolf. 
Espero ver as impressões de outras pessoas sobre o livro e quero muito trocar figurinhas para saber o que acharam do fim deste livro.

Participantes desta leitura compartilhada são:
- Cíntia G.  

6 comentários:

  1. Oi Jéssica. Imagino que qualquer obra de Virginia Woolf seja de fazer pensar muito. Eu não sei por onde começar.:) Bem, estou pensando em participar do fórum da Lua com o Amante, que acha? Beijos. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raquel! Eu só li duas obras dela e realmente o fluxo de pensamentos das obras faz com que entramos num estado reflexivo. Olha, eu não li todas obras dela, mas acho que "O quarto de Jacob" pode ser um bom começo! ;) Eu não conheço esta obra, mas vou procurar por ela. Você está falando d´O Amante de Marguerite Duras? Quem saiba seja um das minhas próximas leituras.
      Tenha ótimas leituras!
      Beijo!

      Excluir
  2. Oi Jéssica,
    adorei suas impressões. Na primeira parte, vi Jacob escapar pelos meus dedos, mas na segunda tive mais contato com ele através do amor que ele tem pela mulher casada. E ai foi só amor... Achei muito interessante a forma como ela construiu esse personagem e como tantos personagens iam e vinham pela história. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lua,
      Incrivelmente, eu me admirei como ela entende este negócio de construção da pessoa Jacob, pois há uma fragmentação que dificuldade conhecermos Jacob. Porém, este mistério que perpassa a obra me deixou com vontade de ler uma continuação. Pena que não existe! A parte amorosa vi como parte de descobrirmos quem era Jacob, mas como o mistério rouba nossa certezas sobre o que houve em torno disto. Realmente, o livro foi encantador!
      Tenha ótimas leituras!
      Beijo!

      Excluir
  3. É interessante perceber a constante mudança que é estar vivo. Como disse Heráclito: ninguem se banha duas vezes nas mesmas águas.

    Tenho uma pergunta para você responder para si mesma: você percebe as suas mudanças como percebeu as do Jacob? Hoje você se "banha" em livros diferentes de antes?

    Te amo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dan, olha, eu acredito que realmente as mudanças que passamos é percebida ao logo do tempo em nosso fluxo de pensamentos e quando paramos a rever nossas escolhas e caminhos. Acho que ninguém se "banha" no mesmo livro, e sim, sempre será outro. Suas impressões, o que foi importante para você no livro e anotações sempre serão outras.

      Obrigada por ler o meu blog!
      Te Amo!
      Beijo

      Excluir